Como Produzir Áudio para Games?

0 Flares 0 Flares ×

Olá, seja bem vindo a mais um artigo do Produção de Jogos.

Este é um artigo experimental, como ainda não tinha feito antes: vou resumir uma palestra inteira para você.

O objetivo é que você consiga fazer uma leitura diagonal e pegar apenas os pontos que mais lhe interessa, ou usar o texto como uma revisão (caso você já tenha visto a palestra).

A palestra escolhida dessa vez foi a que o Thiago Adamo deu na Campus Party 2015. Se você quiser assistir a palestra inteira, basta clicar neste link.

Pouca gente entende o que acontece “por detrás das cortinas” do desenvolvimento de áudio para games. Nessa palestra o Thiago Adamo vai esclarecer como isso funciona.

Neste artigo você vai aprender:

  • Qual a importância do áudio em um jogo;
  • O que é preciso para começar a fazer áudio para games;
  • Quais são as principais ferramentas do mercado (e por qual começar);
  • Dicas valiosas de como ter sucesso nesse mercado;

E se você quer se aprofundar no desenvolvimento de jogos, eu te convido a participar de uma aula online comigo. Você pode se inscrever por meio deste link.

Nota: Para maior fluidez do texto abaixo, eu evitei o uso excessivo de aspas para separar o que foi dito palavra por palavra pelo Thiago e o que é apenas um resumo  do que foi dito. Para garantir a precisão do texto, o próprio Thiago Adamo foi gentil e revisou todo conteúdo.

Pronto para começar? Então vamos lá!


Do começo: Quem é Thiago Adamo?

Thiago trabalha com áudio para jogos (mais especificamente trilha sonora) desde 2008. Estudou Produção Musical e parou tudo que fazia para focar todo o seu tempo em produção de áudio pra jogos.

Desde 2012, ele é um dos produtores da Video Game Live, que é um concerto que homenageia as trilhas sonoras de vários games.

Thiago já fez bastante áudio pra AdverGames, mas hoje está focando 80% do seu tempo na produção de áudio para jogos indie. Atualmente está trabalhando no áudio de um jogo da JoyMasher, e ainda encontra tempo para fazer seus próprios jogos (principalmente em Jams).

Em 2014 montou o site Game Audio Academy, onde  coloca vídeos explicando como funciona a produção de áudios para jogos.

A ideia de fundar a Game Audio Academy veio ao notar que existe pouco material em português sobre o produção de áudio para jogos. Thiago decidiu ir contra a maré e disponibilizar gratuitamente no youtube vários vídeos onde explica como funciona a sua carreira e como você pode produzir áudio para games.

Qual a importância do áudio em um jogo?

Thiago inicia o tópico convidando o espectador para uma reflexão e, para isso, usa uma citação de George Lucas:

“O som e a música representam 50% da diversão de um filme” George Lucas

Vamos ver alguns dos pontos mais importantes que mostram a relevância que o áudio tem dentro de um jogo.

 

1. Imersão e Controle

Exemplo: Alan Awake. Muito da imersão desse jogo vem do trabalho de áudio.

O áudio muda de acordo com cada ação do personagem. Dos jogos atuais, Alan Awake é um dos grandes exemplos de como o áudio pode ser extremamente relevante na imersão oferecida por um jogo digital.

Neste jogo o áudio trabalha para ajudar na imersão e na sensação de controle no jogo. Por exemplo, em determinadas partes do jogo você está com uma lanterna na mão e o som que ela faz é bem característico. Até mesmo quando a bateria da lanterna está acabando, você percebe por causa do áudio. Essas são coisas quase imperceptíveis para o jogador, mas que desempenham um grande papel na imersão proporcionada pelo jogo.

2. Narrativa

É impossível lembrar de The Legends of Zelda sem lembrar de sua trilha sonora. A música é essencial para contextualização do jogo em sua época. Mesmo com o chip de áudio limitado do SNES, a trilha sonora foi muito bem executada e funciona como um elemento de narrativa muito relevante dentro do jogo.

3. Identidade

O que seria de Castlevania sem a música de terror/vampiro misturada com o rock progressivo?

E o que seria de Streets of Rage sem o house music como fundo musical?

Muitas vezes a arte do jogo é comum (ordinária), mas o áudio assume o papel de liderança ao dar identidade ao jogo. Em muitos casos é a trilha sonora que torna um jogo único.

4. Áudio Interativo

O áudio interativo está presente nos jogos digitais desde seu início.

Mesmo em jogos simples como Super Mario o áudio interativo está presente. Quando você pega um power up o som muda, quando você pega o Toad, começa a tocar uma percussão diferente, e por aí vai. Existem vários elementos de áudio quando você interage com os elementos do cenário.

 

Ok, mas o que eu preciso saber para fazer áudio para jogos?

 

Primeira pergunta que você deve se fazer é a seguinte:

Qual a diferença entre sound designer e compositor musical?

Um sound designer, como o próprio nome diz, é aquele que faz o desenho de som. Ele trabalha com efeitos sonoros, sons de ambientes, faz todo o desenho da paisagem sonora que vai rolar no jogo.

Também é o sound designer que faz todo o trabalho de criação de efeitos sonoros (Por exemplo: som de explosões com bexigas, uso de baldes e coisas do dia-a-dia para criar os sons de um jogo)

No Brasil, o sound designer é o cara mais subestimado dentro da industria de jogos. Lá fora, em outros países, é bem comum jogos AAA terem uma equipe in-house apenas para fazer o sound design de todos os jogos da empresa.

Thiago ainda dá duas dicas importantíssimas para quem quer seguir carreira na área.

Dica importante de carreira #1:

Você quer trabalhar com áudio pra games? O caminho mais rápido é estudando sound design. É muito difícil conseguir a carreira de compositor em um grande jogo.

Dica importante de carreira #2:

Se o que você quer é trabalhar como compositor para games, talvez você deva considerar ter seu estilo próprio. Existem muitos compositores que fazem músicas de todo tipo, para todo tipo de jogo. Mas existem também aqueles que são conhecidos por fazer musicas de um certo estilo, com uma certa identidade. É uma boa opção ter o seu próprio estilo, para te diferenciar da multidão. Assim, quando alguém estiver procurando alguém que faça trilhas sonoras com uma pegada mais de rock progressivo, por exemplo, ele vai pensar “vamos falar com fulano, ele faz exatamente esse tipo de trilha!”.

Em outras palavras: fica mais fácil das empresas lembrarem de você como uma boa opção quando você tem um estilo musical próprio.

Equipamentos e Ferramentas para produzir áudio para jogos

Thiago começa essa parte da palestra já com uma dica valiosa: Se você não sabe se gosta de música, não invista caro em equipamentos. Se você ainda está aprendendo, ainda não tem certeza se vai curtir, espere. Comece com algo bem simples. Um computador decente e um bom fone de ouvido fazem o trabalho.

Comece a aprender música antes de aprender software. É preciso estudar teoria musical para saber o básico. Antes de investir em software, invista em conhecimento.

Quais softwares utilizar?

Em primeiro lugar, você precisa de um DAW (Digital Audio Workstation).

Alguns exemplos:

  • Reaper (trial eterno)
  • Logic
  • Pro Tools
  • Ableton live
  • Cubase
  • Fruit Loops
  • Bitwing

Dica: comece com o Reaper, pois ele é grátis por tempo ilimitado.

Com a evolução das suas habilidades, talvez você queira criar apenas chiptunes (músicas que simulam chips de 8/16 bits).

Aqui entram os Trackers. São softwares onde você simula o chip de audio.

Hoje existem varios trackers que simulam chips de videogames antigos (chip de audio do mastersystem, do SNES, Gameboy, e por aí vai).

Algumas dicas para entrar no mercado de trabalho fazendo áudio para jogos

Supondo que você já entenda de música, qual a melhor forma de começar a fazer áudio para jogos e entrar no mercado de trabalho?

No Brasil e no mundo existem muitas Jams, onde em 48h ou 72h as pessoas desenvolvem um jogo do zero. Essa é a melhor forma de entrar no mercado, pois você vai conhecer muita gente relevante e aprende a fazer um jogo de forma eficiente (afinal, o tempo é curto!).

Outra dica: Estude! Lá fora muita gente estuda e mesmo assim pode ser difícil entrar no mercado.

Hoje em dia muita gente ganha uma boa grana vendendo pacotes de audio (ex: trilha sonora para jogos medievais por 50 dólares). Thiago menciona uma pessoa que conheceu no evento da Unity 3d: Um cara que ganha 4 mil dólares por mês, apenas vendendo pacotes de audio na Unity Asset Store.

Uma excelente oportunidade de fazer um bom dinheiro criando áudio para jogos.


Conclusão

E aí, gostou desse formato de artigo? Eu pretendo escrever novos artigos neste formato, mas apenas se você achar que este é um bom modelo para adquirir conhecimento de forma rápida.

Se você quiser saber mais sobre o Thiago Adamo e o Game Audio Academy, você pode se cadastrar no site dele para receber conteúdo de alta qualidade sobre áudio para games.

Antes de terminar, eu gostaria de te fazer uma pergunta:

“Quais as principais dificuldades que você enfrenta para colocar áudio no seu jogo? E como você está pensando em solucionar esse problema?”

Coloque nos comentários a sua resposta (aproveite e me diga se gostou do formato do post) e vamos iniciar aqui uma discussão sobre o tema!

Quer criar seus próprios jogos?

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente informações sobre produção e desenvolvimento de jogos!>

  • Mogly

    Gosto de programação, mas sempre fui prodigio com músicas… “sintéticas” hauhuah. As dicas são boas. Vamo que vamo!

  • Rodrigo Cortese

    Fiz esse jogo pensando no castlevania, poderiz avaliar? https://youtu.be/tQszpHErBPo