3 Dicas Importantes para Melhorar o Áudio do seu Jogo

0 Flares 0 Flares ×

audio-jogos

Para quem não me conhece, eu sou o Thiago Adamo e esta é a minha primeira coluna no Produção de jogos! Eu respiro áudio para games, atuo profissionalmente na área desde 2008 (no estúdio PXLDJ Soundworks) e já fiz trilha para mais ou menos uns 40 jogos.

Desde 2014 tenho um site especializado em ensinar a criar música e áudio para games, a Game Audio Academy.

Nesta coluna quinzenal, eu darei dicas sobre áudio para games e falarei de referências importantes. Meu principal objetivo é aproximar você, postulante ou desenvolvedor já experiente, desse assunto tão importante, mas que encontramos tão pouca informação em português.

O nosso primeiro post vem de uma dúvida comum que tanto de clientes quanto amigos desenvolvedores sempre perguntam:

O que fazer para melhorar o áudio dos seus jogos?

Por isso, separei algumas dicas rápidas e efetivas de como fazer o seu jogo ter a parte de áudio melhor trabalhada:

1- Efeitos sonoros precisam de edição (sempre)

A não ser que você crie as animações do seu jogo sincronizadas com um efeito sonoro já existente, na grande maioria das vezes você vai precisar editar os efeitos sonoros para que eles fiquem adequados para a animação.

O ideal mesmo seria contar com um sound designer, pois este profissional vai além de fazer a edição do som e muitas vezes capta ou mesmo gera (via sintetizadores) novos sons para utilização do seu jogo.

Porém, se não existe mesmo possibilidade de contar com um profissional do meio, eu sugiro o software Reaper que serve tanto para criação de músicas quanto para edição de áudio. Ele possui um trial que não expira e uma ótima qualidade para realizar as edições de áudio (eu sinceramente não recomendo o Audacity nem para esta finalidade).

2- Mp3 definitivamente não é um bom formato de áudio para Loops

Você sabe o que é um loop? Loop é quando o arquivo de áudio fica se repetindo na sua execução durante um estágio do jogo.

As músicas construídas para serem loopadas possuem uma estrutura que você não percebe o fim e o início da mesma. Tudo isso parece muito óbvio para muitos, mas quando trabalhamos com a maioria das engines do mercado, eu definitivamente não recomendo o uso de mp3 para músicas que possuem Loop.

Um motivo é pelo próprio formato de compressão de um arquivo MP3. Antes do inicio do playback do áudio, o computador precisa acessar um cabeçalho do arquivo e isso leva milissegundos, causando atraso e atrapalhando a execução de Loops.

Na maioria das engines (menos na Unreal, que é recomendado utilizar WAV) o melhor formato de áudio para efetuar Loop é o modo de compressão Ogg. No caso da Unity, ainda é possível importar os áudios no formato AIFF e WAV e realizar a conversão para OGG na própria engine (eu inclusive recomendo isso).

3- Diversidade = menor chateação para o jogador

O áudio do jogo precisa sempre responder às mudanças impostas pelo jogo.

Se o áudio é variado o suficiente para dar ao jogador a sensação de feedback, o mesmo nunca vai se sentir chateado por repetições infindáveis de um som de pulo ou do mesmo loop de música de 20 segundos rodando por 15 minutos sem parar durante um level do jogo.

Por isso, é importantíssimo calcular o tempo médio de jogo em Level e, com isso, tentar criar músicas maiores para o Level ou mesmo versões diferentes da música para cada estágio do Level. Por exemplo: o Level está iniciando e toca a versão 1; o Level está na metade e toca a versão 2; o Boss do Level se apresenta e uma música especial para ele é tocada.

Eu evidencio isso muito bem numa palestra online sobre áudio dinâmico para games que realizei na Game Audio Academy.

Não se esqueça de criar diversos sons com algumas poucas diferenças quando o processo for muito repetitivo. Por exemplo, para um som de pulo, você pode criar 4 sons diferentes e ainda mudar o som de queda do personagem conforme o terreno. Isso sem dúvida causa um cansaço auditivo muito menor por parte do jogador. Esse tipo de cansaço acontece quando existe muita repetição, porém ele pode e deve ser atenuado pelo desenvolvedor.

Conclusão

Lembrando que essas são apenas algumas dicas e quinzenalmente eu vou trazer mais.

Sempre recomendo a todos que querem entender melhor o processo de criação de trilhas sonoras para games conferir o minicurso gratuito chamado “5 Passos para Criar Música para Games”, que ministro na Game Audio Academy.

Não se esqueça de comentar falando o que acha e também de postar sua dúvida!

E claro, se você ainda não aplica estas dicas, recomendo fortemente que comece o quanto antes a colocar em prática no seu jogo!

Um grande abraço e até a próxima!