Empreendedorismo, Game Founders e jogos Free to Play: a história da Plug & Boom

0 Flares 0 Flares ×

No PDJ Show dessa semana, o meu convidado é o Gabriel Coutinho da Plug & Boom. 

A história do Gabriel é interessante porque ele veio da ciência da computação e já tinha uma experiência de empreendedorismo antes de entrar na Plug & Boom.

Nós conversamos sobre jogos free to play, monetização, editais de financiamento, a participação deles no Game Founders (uma das maiores aceleradoras de jogos do mundo) e muito mais!

Assista à entrevista completa para saber:

  • Da ciência da computação ao desenvolvimento de jogos: como Gabriel Coutinho aproveitou seus conhecimentos em empreendedorismo para ingressar no time da Plug & Boom;
  • A reestruturação da Plug & Boom: como a empresa decidiu mudar o foco de criações multimídia para criar jogos mobile free to play;
  • Da concepção ao desenvolvimento de Chili Mariachi, primeiro jogo free to play mobile criado pela Plug & Boom;
  • Jogos educativos e o aprendizado com a Inovapps: a criação do jogo Chili Crab, que ensina notas musicais para crianças;
  • Acelerando a empresa na Game Founders: como a Plug & Boom passou os três meses de mentoria e aceleração na Estônia;
  • Mudando a estratégia na monetização de um jogo: por que o estilo “endless runner” não foi a melhor escolha para a criação do Chili Mariachi;
  • As lições que Gabriel Coutinho aprendeu ao participar da Game Founders com a Plug & Boom
  • Sobre a importância de finalizar ciclos de aprendizado no processo de desenvolvimento de jogos e o momento certo de passar por cada etapa;
  • De um endless runner a um free to play com fases e in app purchase: a evolução do jogo Chili Mariachi;
  • O que é e como a Plug & Boom fez o soft launch do Chili Mariachi no Brasil e nas Filipinas
  • Como a Plug & Boom testa e analisa o comportamento de seus usuários e as maneiras de conseguir feedback de jogadores;
  • Jogos free to play: as vantagens, características e formas de monetização desse estilo de game
  • Os livros, dicas e lições de Gabriel Coutinho sobre empreendedorismo;
  • O futuro do Chili Mariachi e da Plug & Boom: saiba quais são os planos para o jogo e para a empresa nos próximos meses.

Reproduzir

Escute também pelo iTunes e se inscreva no nosso Podcast!

Clique nas frases para compartilhar no Twitter

Tweetable: “Game Founders foi uma carga de aprendizado imensa, nossa confiança ficou muito boa, pois a gente viu isso como um reconhecimento bem legal” @gabrielcac via @ProdJogos

Tweetable: “Se você não coloca o jogo no ar, não há aprendizado, e sem aprendizado você não evolui” @gabrielcac via @ProdJogos

Tweetable: “Já estava claro que free to play era uma forma para ter uma receita melhor do que vender” @gabrielcac via @ProdJogos

Tweetable: “Temos planos de continuar com o Chili Mariachi, mas a gente não quer que ele seja o único ovo na cesta” @gabrielcac via @ProdJogos

Links mencionados na entrevista

Trailer do jogo Chili Mariachi

  • Kelvin Ferreira

    Oi Raphael,
    A entrevista de hoje foi muito interessante, mas vc parece meio desanimado as vezes kkk. Gostei muito de saber que o método Lean pode ser aplicado nas empresas de jogos. Acredito fortemente que a chave pra fazer um bom produto é testá-lo em partes menores.

    Sobre a enrevista ficou uma dúvida pra mim. Já vi que várias empresas acompanham lançamento de editais, e com o dinheiro gerado nos editais pagam o desenvolvimento de jogos de sua autoria focando lucro. Gostaria de saber mais sobre isso, onde que eles acompanham isso, ou quais são os orgãos que liberam estes editais. Atualmente sei só da ANCINE mas é bem especifico. Qual seria o método mais comum de procurá-los (e google é muito genérico pra isso, as vezes aparecem links antigos).

    Pra mim a maior dificuldade é na parte de planejamento, a parte técnica eu já tenho experiencia. Tenho mais 2 sócios e temos a intenção de criar um estúdio de jogos. O problema é que gastamos muito tempo planejando, e montando documentos (personagens, história, roteiro, narrativa, e ainda tem coisa incompleta). Além disso estamos trabalhando em um projeto relativamente grande. Não é um AAA mas é complexo. Mas mesmo assim eu acredito que se dividirmos e entregar e testar em pequenas partes pode ser possível fazer este projeto.

    Me lembro do desenvolvimento do PUBG nesses casos. Porque é um jogo
    grande mas que no inicio foi focado em atender a comunidade. Desenvolvimento orientado a comunidade, acho que esse que o nome que utilizaram.

    Gostaria de saber de dicas pra quebrar este projeto que é relativamente grande. Sei que muita gente sempre recomenda começar com os menores. Mas já estamos desde 2016 montando este projeto e estamos bem animados e gostariamos dar luz a esse produto.

  • Kelvin Ferreira

    Agora uma sugestão.
    Acho que seria legal se fizesse um artigo sobre essa análise dos jogos. Como extrair essas métricas e o que elas podem significar.
    Essa métricas que o Gabriel comentou que estão analisando para decidir o que pode ser melhorado. Isso pode ajudar a criar um game design melhor.

  • Olá Rafael!
    Já que tu pediu, vou te dizer as minhas principais dificuldades.

    Primeira: sair da inércia.
    Como eu estou tentando começar algo sozinho e não consigo quem me apoie (isto é, quem queira trabalhar sem ganhar nada por enquanto, assim como eu não estou ganhando nada), é bem desanimador tentar tocar tudo sozinho, e várias vezes é dificil lidar com o desânimo.

    Segundo: fiz o jogo, e agora?
    Ainda não terminei o meu projeto, mas depois que eu terminar, embora eu já tenha pensado no que farei, existe sempre uma insegurança.

    Acho que é isso que mais me preocupa agora. Abraço! E parabéns pelo seu excelente trabalho!