Vale a pena fazer faculdade de jogos digitais?

0 Flares 0 Flares ×

Você finalmente descobriu o que quer fazer da sua vida e decidiu que vai trabalhar com desenvolvimento de games. Mas, e agora: vale a pena fazer uma faculdade de jogos digitais?

Seria melhor fazer faculdade em uma outra área, mais abrangente?

Ou ainda, será que você precisa mesmo fazer faculdade para trabalhar com games?

Esses são os principais questionamentos que as pessoas se fazem quando começam a pensar sobre trabalhar com jogos digitais.

Neste artigo eu vou te explicar tudo que você precisa saber para tomar essa decisão. Aqui eu vou falar sobre:

Preparado? Então vamos em frente!

Porque você não precisa fazer faculdade para trabalhar na indústria de games

Vale a pena fazer faculdade de jogos digitais?

Antes de falar sobre as vantagens e desvantagens de cursar uma faculdade de jogos digitais, faço questão de tirar uma peso do seu coração: você não precisa fazer uma faculdade de games para trabalhar na indústria de jogos.

Existem, sim, vantagens em seguir por esse caminho (mais sobre isso abaixo), mas saiba que não é um pré-requisito para trabalhar na área.

A indústria de jogos engloba muitas áreas diferentes (existe até mesmo psicólogo de e-sports!). É comum vermos funcionários de empresas de jogos que se formaram em marketing, administração, direito, engenharia ou ciência da computação.

Isso significa que é mais do que possível aproveitar as competências que você já possui para trabalhar com games, caso você já tenha experiência em outra profissão.

Além disso, uma das coisas que os estúdios de games mais consideram ao contratar novos profissionais para suas equipes é a experiência prática de um candidato.

Portanto, a criação de um ótimo portfólio pode contar muito mais no seu currículo do que a formação acadêmica.

Dito isso, se você não tem ideia sobre qual caminho seguir e não consegue decidir se faz ou não uma faculdade de design de jogos, continue lendo esse artigo.

Quais são as vantagens em investir numa faculdade de jogos digitais?

O fato de uma formação acadêmica na área não ser o principal diferencial na indústria de jogos não significa que essa experiência seja irrelevante na sua carreira.

Pelo contrário: dependendo de qual caminho você deseja seguir no mercado de games, a faculdade pode ser a porta de entrada para muitas oportunidades interessantes.

Veja algumas vantagens que você pode ter ao cursar uma faculdade de desenvolvimento jogos.

Vantagem #1: Criar sua rede de relacionamentos com profissionais da área

Vantagem 1 da faculdade de jogos é criar relacionamento

Se você nunca teve contato com a área de jogos e não conhece nenhum profissional dessa área, cursar uma faculdade de games pode ser um primeiro passo para começar o seu networking.

E você pode fazer isso a partir dos próprios docentes do seu curso. Embora alguns professores não trabalhem especificamente em empresas de jogos, eles podem oferecer informações importantes sobre as melhores formas de conseguir oportunidades nessa área.

Eles também são importantes contatos para informar sobre eventos relevantes na área de jogos na sua cidade ou região. E, com um bônus: provavelmente você conseguirá descontos, excursões ou condições especiais quando for a estes eventos por meio da sua universidade ou como estudante.

Isso tudo, claro, assumindo que você escolha uma faculdade de boa qualidade. Cuidado com as faculdades “mais ou menos”, pois a chance delas serem uma grande perda de tempo e dinheiro é bem grande.

Vantagem #2: Oportunidade de seguir carreira acadêmica e dar aulas sobre este assunto

Vantagem 2 da fazer faculdade de jogos é poder dar aula

Assim como criar jogos não envolve somente atividades práticas, cursar uma faculdade para desenvolver games não implica que você possa trabalhar apenas criando jogos.

Existem pelo menos mais duas opções que você deve considerar: você pode seguir carreira acadêmica, produzindo estudos e materiais relevantes sobre a indústria de games ou se tornar um professor universitário e ensinar outras pessoas a desenvolver jogos.

Entrar na faculdade é um primeiro passo para ambas as opções. Afinal, é preciso ter uma graduação antes de entrar num mestrado ou doutorado.

E um diploma de mestrado e doutorado contará muitos pontos – ou até mesmo será pré-requisito – para você dar aula em universidades ou faculdades.

Vantagem #3: Fazer parcerias com os colegas da faculdade para iniciar uma empresa ou lançar um jogo

Vantagem 3 de fazer curso de jogos é fazer parcerias

Você tem ideia da quantidade de startups e grandes empresas que foram criadas por colegas que se conheceram na faculdade?

Com o mundo dos games isso não é diferente. Um ótimo exemplo é o estúdio Pocket Trap, onde dois de seus fundadores, Rodrigo e Henrique, se conheceram durante a faculdade.

Esse é apenas um exemplo, mas pode ter certeza que existem muitas outras histórias parecidas com esta nas mais de 300 empresas de jogos espalhadas pelo Brasil.

Então, ao cursar uma faculdade de design de jogos esteja ciente de que essa poderá ser também a oportunidade de encontrar parceiros com os mesmos objetivos que você para empreender ou criar projetos de sucesso.

Algumas desvantagens em fazer faculdade de desenvolvimento de jogos

Nesta seção eu vou explicar quais são as principais desvantagens, na minha opinião, em fazer uma faculdade de design de jogos.

Mas tenha em mente sempre que o meu objetivo aqui é fazer você refletir, e não te dar respostas prontas. A decisão final só você pode tomar, pois depende bastante dos seus objetivos pessoais e profissionais.

Dito isso, vamos analisar 3 das maiores desvantagens em fazer uma faculdade de desenvolvimento de games.

Desvantagem #1: Investimento financeiro muito alto

Desvantagem de fazer faculdade de jogos é investimento alto

Uma boa faculdade particular custa caro, isso não é novidade. E o curso de jogos digitais não é exceção.

Então a questão que eu quero colocar para você aqui é a seguinte: o que aconteceria se você investisse o mesmo valor em cursos livres, workshops, eventos ou simplesmente na criação do seu jogo?

Vamos fazer uma simulação rápida para ter uma ideia.

A mensalidade de uma boa faculdade de jogos custa por volta de 1.500 reais (algumas passam até de 2.000/mês).

Num curso de 4 anos, levando em conta que você não precise refazer nenhuma matéria, isso significa um custo total de R$1.500,00 x 12 meses x 4 anos = R$ 72.000,00.

Temos o hábito de pensar apenas se “a parcela cabe no bolso”, mas a realidade é que uma graduação com mensalidade de 1.500 reais e 4 anos de duração custa pelo menos 72 mil reais (desconsiderando preço de passagem, alimentação, etc).

Agora eu te pergunto: Será que existe uma maneira mais eficaz de investir esses 72 mil reais na sua carreira de desenvolvimento de games ao longo dos mesmos 4 anos?

Talvez investir 20 mil reais em cursos livres e workshops, 20 mil reais indo em eventos nacionais e internacionais da área e o resto, 32 mil reais, investidos diretamente no seu jogo, contratando profissionais para trabalhar contigo, comprando equipamentos e softwares que agilizem seu desenvolvimento e assim por diante.

Na sua opinião, qual seria a melhor forma de investir esses 72 mil reais?

Eu costumo preferir a segunda opção, mas deixo essa decisão pra você. O meu objetivo aqui é fazer você refletir sobre o real custo das coisas e se existem maneiras mais eficientes de alcançar um mesmo resultado.

Se a faculdade que você estiver considerando for pública, aí essa conta fica bem melhor pro seu lado.

Mas ainda assim você precisa colocar na ponta do lápis os custos de alimentação, transporte e uma possível mudança pra cidade da Universidade (dependendo de onde você mora hoje).

Desvantagem #2: Você aprende muita coisa que nunca irá precisar

Desvantagem de faculdade de jogos é aprender coisas que nunca irá usar

Um curso universitário (de design de games ou qualquer outro), tem como objetivo preparar o estudante para atuar nos mais diversos segmento de determinada indústria.

Isso significa, por definição, que a maioria das coisas que você vai aprender nunca irá precisar.

Em um mercado de trabalho tão dinâmico e novo como o de jogos digitais, isso pode ser um grande problema.

A indústria de games está em constante evolução, com novas tecnologias, plataformas e formas de se trabalhar.

Por esse motivo, investir de forma eficiente seu tempo e energia em aprender as coisas realmente úteis para a linha de trabalho que você quer seguir é essencial.

Afinal, se o seu objetivo é ser excelente em programação de jogos digitais, dificilmente investir 100 horas do seu tempo aprendendo sobre pixel art vai te ajudar a alcançar seus objetivos.

Desvantagem #3: curso longo + indústria nova = defasagem na faculdade de jogos

Desvantagem de fazer faculdade de jogos é defasagem

Uma das principais características da indústria de games é o seu dinamismo.

Aqui no Brasil, onde a indústria ainda não é tão consolidada como em países como o Canadá, Reino Unido ou EUA, esse dinamismo é ainda mais intenso.

A evolução tem acontecido de maneira tão rápida, que uma estratégia que funciona bem em determinado momento pode ser completamente obsoleta 1 ano depois.

Isso significa que você precisa se manter constantemente atualizado sobre ferramentas, estratégias de marketing, possíveis caminhos para sua carreira e assim por diante.

Por esse motivo, uma das principais desvantagens de fazer uma faculdade de jogos digitais, na minha opinião, é estar sempre com um certo grau de defasagem.

Isso não é culpa das faculdades de games, mas sim uma consequência direta de ter um curso longo (3-4 anos) sobre uma indústria altamente dinâmica.

Não é possível fazer mudanças profundas na grande curricular de uma graduação a cada 6 meses ou 1 ano. Como consequência, a grande curricular de uma faculdade de games é naturalmente defasada com relação ao mercado de trabalho do setor.

Isso não acontece em indústrias e mercados já estabelecidos como as engenharias, ciência da computação, design, e assim por diante. Como essas são profissões já bem consolidadas na sociedade, fazer uma graduação de 4 ou 5 anos não é um problema tão grande.

 

Exemplos de desenvolvedores que fizeram faculdade de desenvolvimento de jogos

Eduardo Lamhut, da Bitcake Studio

Desenvolvedor que fez faculdade de jogos

O Eduardo Lamhut é formado desde 2011 em Design de Games e a empresa que ele fundou com seus colegas, Bitcake Studio, foi o primeiro estúdio brasileiro a participar do programa da aceleradora Game Founders.

Nesta entrevista que eu fiz com o Eduardo ele conta sobre a formação dele e sobre como foi a criação do game Holodrive: Holodrive, Game Founders e comunidades de jogos: a história da BitCake Studio

Henrique Caprino, da Pocket Trap

Exemplo de criador de jogos que fez faculdade de jogos

O Henrique Caprino começou a se interessar em cursar uma faculdade para desenvolver jogos quando estava na quinta série. Naquela época ele ficou sabendo que existia uma formação para quem queria trabalhar com jogos e decidiu se dedicar a isso logo que teve a oportunidade.

Formado desde 2012 em Design de Games, o Henrique contou para mim como foi sua trajetória desde a faculdade até a criação do game Ninjin e a fundação da Pocket Trap.

Veja a entrevista: Henrique Caprino sobre Ninjin: Clash of Carrots, desafios na Pocket Trap, e experiências na Tokyo Game Show

Davi Costa e Daniel Bittencourt, da Digi Ten

Desenvolvedores de jogos que fizeram faculdade

A trajetória do Davi Costa e do Daniel Bittencourt, fundadores da Digi Ten, iniciou lá no Canadá. Os dois se conheceram enquanto cursavam Game Design na Vancouver Film School.

Depois de um tempo formados, os dois resolveram se juntar para começar a criar protótipos juntos e deram origem ao Dig a Way, game que se tornou sucesso na Apple Store e teve mais de 1,5 milhão de downloads apenas em sua primeira semana.

Ficou curioso para saber mais sobre a trajetória deles? Confira a entrevista completa: Digi Ten fala sobre a criação de Dig a Way, carreira no exterior e como conseguiram 1.5 milhão de downloads em duas semanas

Exemplos de desenvolvedores que não fizeram faculdade para desenvolver jogos

Se você já é formado em uma área diferente ou ainda não fez uma graduação, não se preocupe: como eu disse, existem designer de jogos que vieram de todos os tipos de carreira e experiências.

Enquanto alguns se formam em áreas diferentes e migram suas carreiras para a indústria de games, outros nem precisam terminar a faculdade para criar seus próprios estúdios de jogos. Dá só uma olhada nos exemplos a seguir:

Felipe Dal Molin, da Luderia

Game designer que não fez faculdade de jogos digitais

A trajetória do Felipe Dal Molin, Game Designer na Aquiris Game Studio, é outro exemplo. Interessado em criar jogos desde os 15 anos, ele iniciou a faculdade em Ciência da Computação pensando em trabalhar com jogos.

Porém, depois de um tempo ele descobriu que não gostava de programar e resolveu tentar uma nova abordagem: a área de design gráfico.

E, uma coisa muito interessante que ele fez antes de mudar de curso foi conversar com profissionais da área para entender melhor o que era preciso fazer. E então, durante o novo curso de Design Industrial ele também passou a estudar no tempo livre sobre game design, que era especificamente o que ele queria.

“Na época eu lembro que queria muito fazer faculdade para desenvolver jogos, mas hoje eu fico feliz por ter feito design gráfico no lugar da faculdade de jogos. Até conversando com gente que se formou, eu acho que os cursos de jogos digitais estão amadurecendo ainda. Agora tem gente dando aula que já passou pelo mercado. Os primeiros cursos foram meio experimentais comparando com agora. Agora talvez seja um momento um pouco mais seguro para fazer faculdade de jogos.”

Saiba mais sobre a história do Felipe Dal Molin nessa entrevista que eu fiz com ele: Felipe Dal Molin fala sobre o jogo Spooklands e sobre como é trabalhar exclusivamente com jogos

Walter Machado, criador do game Ubermosh

Exemplo de desenvolvedor de jogo que não fez curso de jogos

O Walter Machado é um dos exemplos de quem veio de uma carreira completamente diferente para a indústria de jogos. A história dele realmente foge do comum: ele não cursou faculdade para desenvolver jogos, não se formou em computação e nem em design.

Walter é ex-dentista e criador da aclamada série de jogos indie Ubermosh. E quem diria que tudo isso teria começado com estudos sobre a game engine GameMaker Studio.

Veja a entrevista que eu fiz com o Walter Machado na qual ele conta como conseguiu criar o Ubermosh: Ubermosh, Carreira Solo e Sucesso Indie: Conheça Walter Machado

Fazer curso de design de jogos ou um curso mais abrangente? Como escolher?

Neste artigo eu decidi abordar as vantagens e desvantagens de fazer uma faculdade de jogos digitais.

Mas existe ainda a possibilidade de fazer uma faculdade numa área correlata como Ciência da Computação ou Design Gráfico e fazer um esforço para usar esse conhecimento na indústria de games.

Essa é uma ótima possibilidade, que pode ser a solução para quem não quer arriscar fazer uma faculdade específica demais, como a de criação de games.

Eu gravei um vídeo onde eu explico em detalhes como você pode tomar essa decisão, assiste aí:

O que fazer agora? Seu Plano de Ação para entrar e evoluir no mercado de games

Assim como em outras profissões, para se tornar um desenvolvedor de jogos de sucesso não basta apenas ter conhecimento técnico. É preciso encarar essa carreira de maneira muito mais estratégica.

Se você realmente tem o sonho de trabalhar com jogos, mas ainda não sabe por onde começar ou não sabe como dar os próximos passos, eu preparei um material que pode te ajudar bastante.

Você pode utilizar o meu Plano de Ação para preparar uma transição da sua carreira atual para dentro indústria de jogos. Ou mesmo, caso você não queria trocar de carreira, seguir os passos dele para levar o desenvolvimento de jogos como um hobbie sério.

Neste PDF, você vai encontrar informações para:

  • Identificar em qual estágio você está agora e quais são os próximos passos da sua jornada;
  • Descobrir o que fazer para realizar seu sonho de trabalhar com jogos – mesmo que você não faça ideia por onde começar;
  • Não perder mais 1 dia sem saber por onde começar ou como progredir na sua carreira – isso pode te custar meses, anos ou até mesmo fazer você desistir de trabalhar com o que realmente ama.

Este é o mesmo Plano de Ação que eu uso com os alunos do Modo Carreira, meu curso online para quem quer trabalhar no mercado de games como freelancer, empregado ou mesmo empreendendo.

Baixe gratuitamente a cópia do Plano de Ação colocando seu nome e email abaixo – e saiba os próximos passos para realizar seu sonho de trabalhar com jogos:

Sim, envie pra mim o Plano de Ação!